sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

OS GREGOS.








" - Oh Deus! - disse com serenidade. - Não é o mar tal como Algy lhe chama:  uma grande, doce mãe? O mar verde-ranho. O mar que constringe os escrotos. Epi oinopa ponton . Ah, Dedalus, os gregos! Tenho de ensiná-lo. Você deve lê-los no original. Thalatta! Talatta!  É a nossa grande e doce mãe. Venha aqui e olhe."





JAMES JOYCE
     ULISSES








terça-feira, 12 de Agosto de 2014

10 AGOSTO 2014


2-ANIVERSÁRIO: SÓ PORQUE O DIA É TEU

Hoje o universo veste a luz brilhante;
no coração a terra está florida!
Firme regente pede grupo: -Cante
a canção bela e a rima tão querida.
O sol espalha raios cada instante,
a natureza canta a pauta lida,
compassos marcam festa tão marcante,
farta comida, doces e bebida!
Em cada face um canto novo clama;
já não se lembra a dor de uma partida,
renova tudo e acende nova chama...
À mesa, meu convite faz o laço
e cada mão eleva o brinde à vida:
-Só porque o dia é teu um poema faço.



Soneto decassílabo-sáfico-heróico Nº 1578
 Sílvia Araújo Motta
            



segunda-feira, 4 de Agosto de 2014




                       METAMORFOSES



           Reflexos de rostos ausentes, vindos do passado, atingem-nos no presente. Este tão só presente-futuro, converte-se em futuro porque se lhe sobrepõe. Assim, ao nomear "agora" , já o presente se metamorfoseou em futuro. Os reflexos do passado coincidem pois com o futuro onde somos.
            A memória, presentificação do passado, eterniza-se no futuro. Atingem-nos quer queiramos ou não. Vivemos no passado a construir o futuro, onde estamos.