quarta-feira, 3 de Setembro de 2014

FLORES DO JARDIM DOS FAVAIS - QUINTA DO ANJO, PALMELA.






REZA DA MANHÃ DE MAIO





Senhor, dai-me a inocência dos animais
Para que eu possa beber nesta manhã
A harmonia e a força das coisas naturais.

Apagai a máscara vazia e vã
De humanidade,
Apagai a vaidade,
Para que eu me perca e me dissolva
Na perfeição da manhã
e para que o vento me devolva
A parte de mim que vive
À beira de um jardim que só eu tive.




Sophia de Mello Breyner Andresen
          OBRA POÉTICA